O Mal das Doenças do Trabalho e Os Bancários

Se você conhece, convive ou mesmo é um (a) bancário(a), vai se identificar com este artigo. O número de doenças ocupacionais que acometem a categoria dos bancários é de uma proporção tão grande que está sendo tratada como uma verdadeira epidemia.

Entre as doenças que mais afetam os bancários fisicamente são as chamadas LER/DORT (lesão por esforço repetitivo e os distúrbios osteomusculares).

No entanto, além das doenças que afetam a integridade física desses trabalhadores, existem ainda as doenças que afetam a integridade psicológica, como por exemplo: Síndrome do Pânico, Síndrome de Burnout(esgotamento profissional), Ansiedade, Depressão, Estresse e entre outras.

Os bancários estão adoecendo demasiadamente devido trabalharem em ambiente de trabalho não saudável, sujeitos a sobrecarga de trabalho, pressão para o cumprimento de metas abusivas, assédio moral e risco constante de sofre assaltos. Sem contar, que o atendimento ao público, por si só já é estressante. E nada tem sido feito pelos Bancos para que este cenário mude, pelo contrário, a busca pela lucratividade ocorre em detrimento da saúde dos trabalhadores.

Podemos citar como exemplo, a pesquisa encomendada pela Fenae, o estado de saúde dos trabalhadores da CAIXA. “A pesquisa Saúde do Trabalhador da Caixa 2018, encomendada pela Fenae, mostra que 1/3 dos empregados teve problemas de saúde relacionados ao trabalho. Sujeitos a sobrecarga e a um modelo de gestão que estimula o assédio, em 60,5% dos casos, os empregados tiveram doenças psicológicas ou causadas por estresse (https://www.fenae.org.br)”.

O conceito de doença do trabalho ou profissional foi abordado nos artigos anteriores. Mas não custa lembrar que, conforme descrito no artigo 20 e inciso I da lei 8.213/91, consideram-se acidente do trabalho a doença que foi produzida ou desencadeada pelo exercício do trabalho. Porém, mesmo que esse ambiente de trabalho seja propício ao adoecimento, ainda assim se faz necessária a comprovação do nexo de causalidade da doença com as atividades exercidas.

Portanto, percebe-se que esta é a realidade dos trabalhadores da categoria bancária e a tendência é que mais trabalhadores acabem sofrendo de doenças ocupacionais e não há qualquer preocupação por parte dos Banqueiros com a saúde de seus funcionários. Sendo assim, é necessário que a categoria conheça seus direitos para poder reivindicá-los. E a consulta a um profissional especializado em Direito Previdenciário e Trabalhista, sem dúvida, será eficaz.

Daniela do Carmo Amanajás

Advogado e Sócia do Escritório Sousa Advogados OAB/AP 2.009

Jonas Sousa

Advogado e Sócio do Escritório Sousa Advogados OAB/AP 2.262

Diony Lima Melo Junior

Auxiliar Jurídico